Jesuseapalavra.com
" Ide por todo o mundo
e pregai o evangelho."
                 Marcos 16:15
Copyright©Todos os Direitos Reservados 2007-2017 Jesuseapalavra.com
Revistas
Unidos em Amor
Analisando o Conselho Divino
Há algum tempo,logo no início de meu ministério,fui convidado para realizar uma semana de ênfase espiritual numa escola fundamental cristão.No decorrer da semana,tornou-se óbvio para mim que dois professores estavam engrentando um sério conflito.AS atitudes negativas de um contra o outro vinham constantemente à tona nas reuniões do grupo.Se um dava uma idéia,o outro se opunha.Quando os dois estavam presentes a uma reunião,o ar ficava tenso.Era evidente que não gostavam mesmo um do outro.
Quase no fim da semana,preguei a respeito da extraordinária oração intercessora de Cristo em João 17.Jesus estava prestes a deixar Seus discípulos.Em breve Ele seria traído e crucificado.Iria logo depois levantar-Se da tumba e ascender ao Pai.Essa fervorosa oração reflete o que estava em Seu coração.Revela o que estava em Sua mente mesmo antes de Sua morte na cruz.O Salvador estava preocupado com a unidade da igreja.E então Ele orou:"A fim de que todos sejam um;e como és Tu,ó Pai,em Mim e Eu em Ti,também sejam eles em Nós;para que o mundo creia que Tu Me enviaste"(Jo 17:21).O anseio de Cristo era de que não mais houvesse dissensão,ciume,luta pela supremacia e conflito entre Seus discípulos.Ele orou para que ao se manterem unidos,a despeito de todas as diferenças,revelassem ao mundo o poder de Seu amor.
Ao partilhar os anseios do coração de Jesus com aqueles alunos e professores,algo extraordinário aconteceu.Programamos para a ultima noite da semana de ênfase espiritual a celebração da cerimônia do lava-pés e da Santa Ceia.O Espírito Santo entrou em ação.Deus agiu poderosamente.Os dois professores que estavam em discórdia ajoelhara-se e lavaram os pés um do outro.O Espírito de Deus derrubou as barreiras.Eles se abraçaram,confessaram as atitudes negativas e oraram juntos.
O Desejo de Supremacia Foi Banido
Antes do Pentecostes,os discípulos também abrigavam ambições egoístas.Movida pelo desejo de supremacia dos filhos,a mãe de Tiago e João apelou a Jesus para que desse a cada um deles um lugar de destaque naquele que supunham ser muito em breve Seu reino terrestre.
"Ela respondeu:'Manda que,no Teu reino,estes meus dois filhos se assentem,um à Tua direita,e o outro à Tua esquerda"(Mt 20:21).Esse pedido,é claro,levou ao ciume e à desunião entre os outros discípulos.Eles simplesmente não estavam prontos para o derramamento do Espírito Santo na dimensão do Pentecostes.Essa era uma das principais razões pelas quais Jesus instou com eles para passarem dez dias reunidos em oração no Cenáculo.Isso porque a unidade deve preceder ao derramamento do Espírito Santo.
Ao buscarem a Deus em oração,o Espírito Santo uniu-os coração a coração no amor de Cristo.O relato do livro de atos registra ainda:"Todos estes perseveravam unânimes em oração,com as mulheres,com Maria,mãe de Jesus e com os irmãos dEle"(At 1:14).E continua em Atos 2:1:"Ao cumprir-se o dia de Pentecostes,estavam todos reunidos no mesmo lugar."Em seu comentário sobre a experiência dos discípulos no Cenáculo,Ellen White declara:
É importante notar que só depois de haverem os discípulos entrado em união perfeita,quando não mais contendiam por posições mais elevadas,foi o Espírito derramado.Estavam unânimes.Todas as divergências haviam sido postas de lado.E o testemunho dado a seu respeito depois de derramado o Espírito é o mesmo.Note a expressão:"Era um o coração e a alma da multidão dos que criam"(At 4:32).O Espírito dAquele que morreu para que os pecadores vivessem dirigia a inteira congregação de crentes.
Os discípulos não pediram uma bênção para si.Arcavam sob o peso da preocupação pelos perdidos.O evangelho devia ser levado aos confins da Terra,e reclamaram a dotação do poder que Cristo prometera.Foi
então derramado o Espírito Santo e milhares se converteram num dia (Testemunho Para a Igreja, v. 8,p. 20,21.
Durante aqueles dez dias no Cenáculo,os discípulos confessaram até mesmo as pequeninas diferenças que tinham entre si.Eles se arrependeram de seu ciume e de seu orgulho.O coração estava cheio de amor pelo Cristo que deu Sua vida por eles e que estava à direita do Pai intercedendo em favor deles.As ambições egoístas foram consumidas em Seu amor por Ele.Os discípulos descobriram que "a união com Cristo estabelece um vínculo de união entre si.Essa união é a mais convincente prova perante o mundo da majestade e virtude de Cristo e de Seu poder para tirar o pecado"(Ellen G. White Comments,The Seventh-day Adventist Bible Comentary,v. 5. p. 1148).
A Base da Unidade na Bíblia
Isso nos leva algumas perguntas práticas relacionadas à unidade.A unidade significa que não há diferenças de opinião?Como os discípulos,com disposição e personalidades tão distintas,puderam participar da completa  unidade?A unidade implicaria na fusão de diferentes personalidades em algum tipo de unidade divina de pensamento?Qual é a base de toda a unidade da igreja cristã?A seguir estão cinco princípios fundamentais que forma a base da unidade de que falou Jesus:
1-Temos um Criador em comum.Deus fez todas as nações de um só sangue.Somos todos um pelo fato de termos um Pai em comum.Ele nos criou (At 17:26).
2-Temos um Redentor em comum.Somos um pelo fato de que foi Ele quem nos redimiu (Ef 1:14-22).
3-Temos uma herança em comum.Fazemos parte do corpo de Cristo,concedido por Deus para o servio.Alguns têm dons que são valiosos para a edificação do corpo de Cristo ( I Co 12:4-11,18-21).
4-Temos uma mensagem em comum.Os discípulos estavam unidos pela mensagem em comum da verdade presente que os distinguia do mundo ( Ef 4:12,13;Ap 14:6-12).
5-Temos uma missão em comum.Os discípulos estavam unidos com o auxílio da Grande Comissão dada por Cristo para alcançar o mundo com o evangelho.As ambições egoístas,o orgulho e o desejo de supremacia foram consumidos no altar do compromisso de levar o evangelho ao mundo(Mt 28:18-20).
Quando os discípulos dedicaram tempo buscando a Deus em oração,o Espírito Santo impressionou sua mente com o fato de que eles tinham o Criador,o Redentor,a herança,a mensagem e a missão em comum.As coisas que os uniam eram muito maiores do que aquelas que os pederia separa.E eles descobriram que as coisas que os separavam não eram tão importantes afinal.Ellen White assim descreve essa unidade por eles vivenciada:
Havia nesses nesse primeiros discípulos frisante diversidade.Eles deviam ser ensinadores do mundo e representavam amplamente variados tipos de caráter.Par conduzir com êxito a obra para a qual haviam sido chamado,esses homens,diferindo em características naturais e em hábtos de vida necessitavam chegar à unidade de sentimento,pensamento e ação.Esta unidade Cristo tinha por objetivo assegurar.Para alcançar este fim Ele procurou mantê-los em união consigo próprio.A responsabilidade que Ele sentia em Sua obra por eles é expressa em Sua oração ao Pai:"Para que todos seja um,como Tu,ó Pai,o és em Mim,e Eu em Ti;que também eles sejam um em Nós.""Para que o mundo conheça que Tu Me enviaste a Mim,e que os tens amado a eles como Me tens amado a Mim"(Jo 17:21,23).
Sua constante oração por eles era que fossem santificados pela verdade;e Ele orou com segurança,sabendo que um decreto da parte do Todo-Poderoso tinha sido feito antes que o mundo tivesse vinda à existência.SAbia que o evangelho do reino devia ser pregado a todas as nações para testemunho;que a verdade armada com a onipotência do Santo Espírito seria vitoriosa na batalha contra o mal,e que a bandeira sangrenta um dia haveria de tremular triunfange sobre Seus seguidores (Atos dos Apóstolos, p. 20,21).
A frase "unidade de sentimentos,pensamento e ação"é uma expressão fascinante.O que significa precisamente uma unidade de sentimentos,de pensamento e ação?A unidade de sentimentos refere-se ao amor genuíno e ao respeito mutuo.A despeito de suas diferenças de personalidade,por meio de Cristo esses primeiros cristãos tinham um amor uns pelos outros que era evidente para aqueles que os observavam.O apóstolo João aconselhou os crentes com estas palavras:"Amados,amemo-nos uns aos outros,porque o amor procede de deus;e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus:(I Jo 4:7).A unidade de pensamento refere-se a um sistema básico de crenças em comum.Os discípulos estavam unidos em Cristo e em Seus ensinos.A confiança em Seus ensinos os unia.A compreensão da verdade que Ele ensinou os unia.A aceitação das doutrinas por Ele defendidas mantinha-os em um foco comum.A unidade de ação refere-se à compreensão e aceitação da sua missão.Os discípulos estavam focados na conclusão da tarefa que o Mestre lhes havia dado.Sua paixão era proclamar a mesnagem do amor de Jesus ao mundo.Eles se consumiram partilhando o evangelho em todos os lugares possíveis.Não permitima que os diferentes traços de personalidade,pontos de vista e maneiras de ver as coisas ou preferências pessoais se colocassem no caminho do cumprimento da missão dada por Cristo.Isso nos leva a algumas questões essencialmente importantes para a vida.Por que não se ajoelhar e com fervente oração considerar essas cinco questões a seguir?Use-as como um motivo para a oração.Se você estiver estudando este manual em um pequeno grupo,poderá discutir essas perguntas com seus companheiros antes de orar a respeito delas.
1-Há ocasiões em que minhas opiniões pessoais geram confilito em meu lar ou na igreja?O que poderia fazer para reduzir esse conflito?
2-Se mantenho sentimentos de hostilidade em relação a outro membro da igreja,que passos práticos posso dar para reduzir o conflito?
3-Se fui magoado desnecssariamente e estou lutando para reatar o relacionamento com a pessoa que me magoou,como posso tomar a iniciativa para fazer as pases?
4-Se sou um líder da igreja,o que posso fazer para promover a unidade?
5-Como o envolvimento pessoal na missão promove a unidade da igreja?Estou eu envolvido de alguma maneira na conquista de pessoas para Cristo?Se não,por que não pedir que Jesus me oriente sobre o que Ele deseja que eu faça?
Refletindo Sobre o conselho Divino
Leia atentamente o seguinte texto extraído do livro Atos dos Apóstolos,páginas 44-50.
Desde a queda de Adão,Cristo estivera confiando a servos escolhidos a semente de Sua Palavra,lançada nos corações humanos.Durante Sua vida na Terra,Ele semeara a semente da verdade e regara-a com Seu sangue.As conversões havidas no dia do Pentecostes foram o resultado dessa semeadura,a colheita da obra de Cristo,revelando o poder de Seus ensinos.
Os argumentos dos apóstolos somente,conquanto convincentes e claros,não haveriam removido o preconceito que resistira a tanta evidncia.Mas o Espírito Santo com divino poder convenceu o coração pelos argumentos.As palavras dos apóstolos eram como afiadas setas do Todo-Poderoso,convencendo os homens de sua terrível culpa em haverem rejeitado e crucificado o Senhor da glória.
Sob a influência dos ensinos de Cristo,os discípulos tinham sido induzidos a sentir sua necessidade do Espírito.Mediante a instrução do Espírito receberam a habilitação final,saindo no desempenho de sua vocação.Não mais eram ignorantes e iletrados.Haviam deixado de ser um grupo de unidades independentes ou elementos discordantes em conflito.Sua esperança não mais repousava sobre a grandeza terrestre.Todos eram "unânimes"(At 2:46)e "era um o coração e a alma da multidão dos que criam"(At 4:32).Cristo lhe sencia os pensamentos;e visavam ao avançamento de Seu reino.Na mente e no caráter haviam-se tornado semelhantes a seu Mestre,e os homens "tinham conhecimento que eoes haviam estado com Jesus"(At 4:13).
O Pentecostes trouxe-lhes uma iluminação celestial.As verdades que não puderam compreender enquanto Cristo estava com eles eram agora reveladas.Com uma fé e certeza que nunca antes conheceram,aceitaram os ensinamentos da Sagrada Palavra.Não mais lhes era questão de fé ser Cristo o Filho de Deus.Sabiam que,ainda que revestido da humanidade,Ele era de fato o Messias,e contaram sua experiência ao mundo com uma confiança que inspirava a convicção de que Deus estava com eles.
Eles podiam falar no nome de Jesus com segurança;pois não era Ele seu Amigo e Irmão mais velho?Levados em íntima comunhão com Cristo,assentaram-se com Ele nos lugares celestiais.Com que abrasante linguagem vestiam suas ideias quando testificavam dEle!Seus corações estavam sobrecarregados com benevolência tão ampla,tão  profunda,de tão vasto alcance que foram impelidos a ir aos confins da Terra,testificando do poder de Cristo.Foram cheios de um intenso desejo de levar avante a obra que Ele tinha iniciado.Sentiram a enormidade de seu débito para com Céu,e a responsabilidade de sua obra.Fortalecidos pela concessão do Espírito Santo,saíram com zelo para estender os triunfos da cruz.O Espírito animava-os,e falava por intermédio deles.A paz de Cristo brilhava em suas faces.Tinham-Lhe consagrado a vida para serviço,e seu próprio semblante evidenciava a entrega que haviam feito.
Quando Cristo fez a Seus discípulos a promessa do Espírito,estava Ele Se aproximando do fim de Seu ministério terrestre.Estava à sombra da cruz,com plena consciência do peso da culpa que havia de repousar sobre Ele como o portador do pecado.Antes de Se oferecer como a vítima sacrifical,instuiu Seus discípulos com respeito a um dom muito essencial e completo que ia conceder a Seus seguidores - o dom que haveria de pôr-lhesao alcance os ilimitados recursos de Sua graça."Eu rogarei ao Pai,e Ele vos dará outro Consolador,para que fique convosco para sempre;o Espírito de verdade,que o mundo não pode receber,porque não O vê,nem O conhece;mas vós O conheceis,porque habita convosco,e estará em vós"(Jo 14:16,17).O Salvador estava apontando para o futuro,ao temp em que o Espírito Santo deveria vir para fazer uma poderosa obra como Seu representante.O mal que se vinha acumulando por séculos devia ser resistido pelo divino poder do Espírito Santo.
Qual foi o resultado do derramamento do Espírito no dia do Pentecostes?As boas-novas de um Salvador ressuscitado foram levadas até as mais longínquas partes do mundo habitado.À medida que os discípulos proclamavam a mensagem da graça redentora,os corações se entregavam ao poder da mensagem.A igreja viu conversos vindo para ela de todas as direções.Extraviados convertera-se de novo.Pecadores uniram-se aos crentes em busca da Pérola de grande preço.Alguns que haviam sido os mais ferrenhos inimigos do evangelho tornaram-se seus campeões.Cumpriu-se a profecia:"O que dentre eles tropeçar [...]será como Davi,e a casa de Davi [...]como o anjo do Senhro"(Zc 12:8).Cada cristão via em seu irmão uma revelação do amor e benevolência divinos.
Só um interesse prevalecia;um elemento de emulação absorveu todos os outros.A ambição dos crentes era revelar a semelhança do caráter de Cristo,bem como trabalhar pelo desenvolvimento de Seu reino.
"E os apóstolos davam,com grande poder,testemunhando da ressurreião do Senhor Jesus,e em todos eles havia abundante graça"(At 4:33).Pelas suas atividades agregaram-se à igreja homensa escolhidos que,recebendo a palavra da verdade,consagraram a vida à obra de levar aos outros a esperança que lhes enchia o coração de paz e satisfação.Não podeiam ser reprimidos nem intimidados por ameaças. O Senhor falava por seu intermédio e,à medida que iam de lugar a lugar,o evangelho era pregado aos pobres e manifestavam-se milagres da divina graça.Deus pode atuar tão poderosamente quando os homens se entregam ao controle de Seu Espírito.
A promessa do Espírito Santo não é limitada a alguma época ou etnia.Cristo declarou que a divina influência de Seu Espírito estaria com Seus seguidores até o fim.Desde o dia do Pentecostes até o presente,o Confortador tem sido enviado a todos os que se rendem inteiramente ao Senhor e a Seu serviço.A todos os que aceitam a Cristo como um Salvador pessoa,o Espírito Santo vem como consolador,santificador,guia e testemunha.Quanto mais intimamente os crentes andam com Deus,tano mais clara e poderosamente testificam do amor do Redentor e da Sua graça salvadora.Os homens e mulheres que através dos longos séculos de perseguição e prova desfrutaram,em larga escala,a presença do Espírito em sua vida permaneceram como sinais e maravilhas no mundo.Revelaram,diante dos anjos e dos homens,o transformador poder do amor que redime.
Os que no Pentecostes foram dotados com poder do alto não ficaram,por isso,livres de tentações e prova.Enquanto testemunhavam da verdade e da justiça,eram repetidamente assediados pelo inimigo de toda a verdade,o qual procurava roubá-los de sua experiência cristã.Eram compelidos a lutar com todas as faculdades dadas por Deus a fim de alcançarem a estatura de homens e mulheres em Cristo Jesus.Diariamente oravam por novos suprimentos de graça para que pudessem subir mais e mais na escala da perfeição.Sob a operação do Espírito santo,mesmo os mais fracos,pelo exercitar fé em Deus,aprendiam a melhorar as faculdades conseguidas e a se tornarem santificados,refinados e enobrecidos.Ao se submeterem em humildade à modeladora influência do Espírito Santo,recebiam a plenitude da Divindade e eram modelados à semelhança do divino.

Marcos 16:15
10 Dias no Cenáculo