" Ide por todo o mundo e pregai o evangelho
          Marcos 16:15
Jesuseapalavra.com
Copyright©Todos os Direitos Reservados 2007-2018 Jesuseapalavra.com
Marcos 16:15
Revistas
Construindo pontes
    Como os adventistas se relacionam com outras denominações sem cair no ecumenismo.
    Os adventistas do sétimo dia ocupam uma posição privilegiada no que tange ao relacionamento com pessoas de outras religiões do mundo.Existem intersecções de valores que podem funcionar como ponto de partida para conversas,diálogos e parcerias com o intuito de melhorar as condições de vida de toda a família humana.
    Por exemplo,os adventistas do sétimo dia adotaram a abstinência de bebidas alcoólicas,um ponto em comum com os muçulmanos.Muitos adventistas do sétimo dia também se abstêm de comer carne de porco,ponto em comum com as religiões que favorecem o vegetarianismo,como o hinduísmo e o budismo.A maioria dos adventistas se abstém de café ou bebidas à base de cafeína,ponto em comum com os mórmons.Os adventistas que comem carne se abstêm das que são consideradas imundas,ponto em comum com os judeus.
    Em um nível mais profundo,a crença na Criação e na segunda vida de Jesus Cristo é compartilhada por religiões que enfatizam a intervenção escatológica divina para restaurar a justiça e a paz no mundo.
    Há premissas filosóficas que influeciam o comportamento dos adventistas do sétimo dia de construir pontes com pessoas de outras denominações religiosas,ou com ateus e agnósticos.Todas convergem na convicção de que Jesus Cristo é o Desejado de Todas as Nações,isto é,Ele é o Deus que as pessoas desejam profundaemnte conhecer,ainda que não estejam conscientes disso.
    Existem várias declarações oficiais facilmente acessíveis que fornecem diretrizes a respeito de como os adventistas devem se relacionar com outras religiões e organizações religiosas.Um exemplo é o Livro de Regulamentos,que apresenta duas secçõe que orientam o relacionamento da igreja com outras denominações religiosas,intituladas Guia Para a Missão (seção A 20,p. 78-84)e Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa (seção FL,p. 421-425).Elas giram em torno de uma abordagem positiva para com outras religiões e a necessidade da liberdade religiosa e autonomia para que todos possam testemunhar em favor dos princípios de suas convicções.Adota-se a mesma abordagem quando se trata de pessoas que não professam nenhuma religião,seguidores de filosofias puramente seculares.
Liberdade para a missão
    A história das relações entre religiões e ideologias concorrentes que levaram a inúmeras guerras,confrontos,intimidações,abusos e violência em todas as suas formas torna necessário delinear da maneira mais clara possível nossa compreensão de outras religiões e a natureza do alcance de nosso testemunho a elas.
    Um valor fundamental promovido pelos adventistas no cenário mundial é a liberdade de escolha religiosa.No adventismo,esse privilégio é considerado um direito humano.Portanto,embora caracterizados por um senso de missão para com todos os grupos de pessoas,os adventistas insistem na liberdade de cada indivíduo de manter suas convicções.Coerção,intimidação e manipulação da vulnerabilidade ou ingenuidade das pessoas vão fundamentalmente contra nossos valores essenciais.Além disso,honestidade quanto ao conteúdo de nossas crenças deve,portanto,ser claramente expressa e explicada àqueles a quem proclamamos a soberania de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
    O evangelho pregado pelos adventistas é integral e se concentra em todos os aspectos da existência e experiência humana:espiritual,mental,emocional,físico,social e relacional.O adventismo defende a dignidade de todo ser humano,independentemente de origem étnica,cor,sexo ou status social.Seu persistente compromisso e determinação de aliviar o sofrimento e melhorar a vida das pessoas em muitas partes do mundo é um sinal claro de que a esperança está no cerne da sua mensagem.Isso,certamente,encontra uma resposta positiva de muitas partes do mundo onde florescem as religiões mundiais.
Unidade sem ecumenismo
    Ao saber que a Igreja Adventista está representada nas reuniões de organizações ecumênicas cristãs,alguns perguntam como exatamente os adventistas veem a unidade cristã,as relações inter-religiosas e o ecumenismo.Outra dúvida recorrente está relacionada à razão de optarmos por aceitar e manter apenas o status de observadores e não de membros das organizações ecumênicas cristãs.
    A resposta é simples:é legítimo que todas as pessoas de boa vontade se unam para salvar e proteger pessoas e afirmar a importância e o caráter sagrado da vida.É inclusive urgente que mais pessoas se associem para tornar este mundo um lugar melhor para todos os seres humanos,contribuindo para melhorias na saúde,educação e no trabalho humanitário com toda a dignidade,liberdade,justiça,paz e fraternidade.No cumprimento de sua missão,os adventistas procuram se misturar com outras organizações cristãs.
    No que se refere à sua posição em organizações cristãs globais,a Igreja Adventista do Sétimo Dia tem ocupado o status de observadora nas reuniões e estado aberta à cooperação com outras igrejas em áreas que não comprometem sua identidade,missão e mensagem.A regra geral é não se tornar membro de qualquer corpo ecumênico que erradique ou apague a distinta voz adventista em referência à sobernia de Deus,o Criador,ao sábado e à segunda vinda de Cristo.
    Para os adventistas,a liberdade religiosa é o antídoto para o ecumenismo sincretista.É um chamado para abraçar a verdade com a inalienável liberdade de consciência,de expressar publicamente suas crenças,de convidar outros para compartilhar de suas convicções ou de se unir à sua comunidade de fé.
Compreensão correta
    Um sutil conjunto de tópicos inter-relacionados que necessita de muita clareza é a questão da unidade e do ecumenismo.Às vezes,outras palavras,como "colaboração", "parceria" e "diálogo inter-religioso",são trazidas às conversas como se tivessem o mesmo significado.A palavra "ecumenismo" é usada de maneira diferente em contexto variados.O termo pode se referir à unidade entre as igrejas cristãs do mundo,mas as pessoas costumam usá-lo para descrever um sentido geral de relacões cordiais,diálogo ou parceria para um projeto.Rotular qualquer parceria entre os cristãos como ecumenismo doutrinário pode revelar falta de conhecimento,instrução e mesmo exagero.
    Cada aspecto do engajamento adventista com qualquer instituição,órgão ou organização,seja eclesiástica ou política,desenvolve-se principalmente com base na razão para a existência da igreja:ser "sal" e "luz" do mundo (Mt 5:13-17),trazendo esperança para a humanidade enredada em todo tipo de maldade.
    Para cumprir essa misso,os adventistas seguem o método de Jesus.Ele serviu às pessoas,curou-as e alimentou-as sem esperar nada em troca.Ele as fez sober e sentir que eram livres para escolher seu futuro com ou sem Ele.A liberdade de consciência é importante para Jesus.Sem essa liberdade,nenhuma aliança é genuína.Isso ocorre porque o amor não pode ser forçado.
Relações entre igrejas
    Os adventistas reconhecem outros cristãos sinceros que confessam a verdade de Jesus como membros do corpo de Cristo,mas não assumem participação formal na estrutura de organizações ecumênicas principalmente por causa da liberdade religiosa.A adesão a um corpo ecumênico limitaria liberdade de compartilhar as próprias convicções com todos os demais.
    Apesar de não fazerem parte das organizações ecumênicas que exigem adesão,eles desfrutam do status de convidados ou observadores nas reuniões.A coorporação com outras denominações cristãs está de acordo com a visão que a Igreja Adventista do Sétimo dia tem todos outros cristãos.A Associação Geral,órgão administrativo mundial,escreveu no seu Livro de Regulamentos que os líderes da igreja "reconhecem todas as organizações que elevam Cristo perante os homens com parte do plano divino de evangelização do mundo,e [...] Têm grande estima pelos homens e mulheres cristãos de outras denominações que estão empenhados em ganhar almas para Cristo."
Princípio maior
    No entanto,a unidade,embora claramente desejada por deus,não é o valor supremo.A lealdade à verdade de Deus tem precedência.Por isso,o princípio que influencia as relações dos adventistas com outros cristãos tem dois aspectos inseparáveis:a verdade e a liberdade religiosa.
   A Igreja Adventista do Sétimo Dia e váras outras denominações que não se uniram aos corpos ecumênicos organizados se opõem, ao ecumenismo como doutrina ou como meio de fundir igrejas cristãs em uma igreja mundial (o que pressupõe a perda da identidade denominacional distintiva).Além disso,os adventistas e outros crentes não adrem a alianças sincretistas que diminuem a importância e o peso da verdade,especialmente quando as crenças de algumas igrejas não estão em harmonia com a verdade bíblica revelada.Em realidade,a unidade doutrinária entre as igrejas cristãs é enganosa e inatingível,a menos que as igrejas percam suas crenças distintivas e se unam a uma das tradições religiosas,seja católica romana,ortodoxa orietal,anglicana,reformada,evangélica ou pentecostal.
    Embora considere outros cristãos irmãos e irmãs em Cristo,o princípio que levou a Igreja Adventista do Sétimo Dia a não ser membro de uma união de igrejas organizada foi a liberdade religiosa.A liberdade religiosa implica o direito irretrito de compartilhar as convicções religiosas e de convidar outros a se unirem à própria tradição cristã sem ser acusado nem rotulado de proselitista.Assim,a principal preocupação dos adventistas é a possibilidade de serem impedidos de compartilhar suas convicções com outros,independentement de crença religiosa ou filosófica.
    A liberddae de religião ou crença é um inegociável dom de Deus que deve caracterizar a liberdade de todo cristão ou comunidade cristã para compartilhar suas convicções e convidar outros a se unirem à sua tradição cristã.Obviamente,por causa da missão,os cristãos podem se unir para testemunhar de Cristo a um mundo que necessita Dele com muita urgência!

    Ganoune Diop é diretor mundial do Departamento de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da Igreja Advensita e secretário-geral da Associação Internacional de Liberdade Religiosa (Irla)
Liberdade Para Todos