" Ide por todo o mundo e pregai o evangelho
          Marcos 16:15
Jesuseapalavra.com
Copyright©Todos os Direitos Reservados 2007-2018 Jesuseapalavra.com
Marcos 16:15
Lição da Escola Sabatina
 
Quando surgem conflitos
VERSO PARA MEMORIZAR: “Os que em Cristo foram batizados, de Cristo se revestiram. Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus” (Gl 3:27, 28, NVI).

LEITURAS DA SEMANA: At 6:1-6; 10:1-23; 11:3-24; 15:1-22; Mt 5:17-20; Am 9:11, 12

Uma das tarefas mais difíceis de uma comunidade cristã é manter a unidade quando surgem diferenças de opinião em questões relativas à identidade e à missão da igreja. Essas diferenças podem levar a consequências devastadoras.
As comunidades cristãs de hoje não são diferentes das que vemos no Novo Testamento. Pessoas são pessoas, e as diferenças surgirão mesmo em questões importantes. Os primeiros cristãos enfrentaram alguns conflitos em decorrência de preconceitos interpessoais e de sérias diferenças de interpretação das histórias e práticas fundamentais do Antigo Testamento. Esses conflitos poderiam ter destruído a igreja logo em seu início, se não fosse pelos apóstolos e líderes zelosos que buscaram a orientação do Espírito Santo e das Escrituras para resolver essas tensões.
Há algumas semanas estudamos como a igreja primitiva experimentou sua unidade. Nesta semana, examinaremos como ela resolveu os conflitos internos que enfraqueciam sua unidade e ameaçavam sua sobrevivência. Quais foram esses conflitos? Como a igreja resolveu essas questões? E o que aprendemos com essas experiências?
Sábado à tarde
Domingo
Preconceitos étnicos

1. Leia Atos 6:1. Que problema na igreja primitiva fez com que o povo reclamasse da distribuição de alimentos às viúvas? Assinale a alternativa correta:
A.(  ) As viúvas helenistas estavam sendo esquecidas.
B.(  ) Havia falta de alimento em Israel.

Alguns cristãos da igreja primitiva tinham preconceito contra as viúvas de tradição grega no meio deles e lhes forneciam menos alimentos do que às viúvas de tradição hebraica. Esse favoritismo percebido causou uma divergência na comunidade cristã primitiva. O texto não revela se o favoritismo era ou não real. Ele afirma apenas que algumas pessoas acreditavam que fosse. Esse conflito ameaçou a unidade da igreja logo no início. É impressionante como essa divisão étnica foi vista tão rapidamente na igreja!

2. Leia Atos 6:2-6. Que medida simples foi tomada pela igreja primitiva para resolver esse mal-entendido? Assinale “V” para verdadeiro ou “F” para falso:
A.(  ) Os apóstolos pararam de pregar e passaram a servir às mesas.
B.(  ) Os apóstolos escolheram sete homens para servir às mesas.

A igreja primitiva estava crescendo rapidamente, e esse crescimento trouxe encargos cada vez mais pesados aos apóstolos. A nomeação desses sete homens, tradicionalmente chamados de “diáconos” (embora o Novo Testamento não os chame assim), aliviou a tensão na igreja de Jerusalém e permitiu o envolvimento de mais pessoas no ministério da igreja.
Os apóstolos ouviram atentamente as queixas dos cristãos de fala grega e pediram-lhes uma solução. A seleção dos sete homens que se tornariam associados dos apóstolos foi deixada nas mãos desse grupo, e eles recomendaram sete discípulos, todos de origem grega. A Bíblia declara que esses homens eram “de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria” (At 6:3). O ministério dos apóstolos, que até então tinha sido pregar a Palavra de Deus e distribuir alimento para as viúvas, foi dividido em dois grupos, cada um igualmente valioso à proclamação do evangelho. Lucas usou a mesma palavra, “ministério” ou “serviço” (diakonia), para se referir tanto ao ministério dos apóstolos na pregação da Palavra (At 6:4) quanto ao ministério dos diáconos na distribuição de alimentos (At 6:1).

Os líderes reuniram muitos cristãos para tentar encontrar uma solução (At 6:2). Em sua opinião, qual é o significado desse ato?
Ano Bíblico: At 16–18
Ano Bíblico: At 13–15
Segunda-feira
A conversão dos gentios

A conversão dos gentios ao evangelho de Jesus Cristo, descrita no livro de Atos, preparou o cenário para o maior conflito na igreja primitiva, ameaçando sua existência e missão.

3. Leia Atos 10:1-23. Quais elementos indicam que o Espírito Santo estava atuando no coração de muitas pessoas, preparando o caminho para que os gentios recebessem o evangelho?

A visão deve ter parecido muito grotesca para Pedro. Ele ficou chocado porque, sendo um judeu fiel, ele nunca havia comido alimentos impuros nem contaminados, conforme a exigência da lei (veja Lv 11; Ez 4:14; Dn 1:8). No entanto, essa visão não foi concedida para tratar de dieta, mas das barreiras entre judeus e gentios que estavam atrapalhando a propagação do evangelho. Essas barreiras eram pelo menos tão predominantes no mundo antigo como são hoje.
Nas primeiras décadas, o cristianismo era basicamente constituído por judeus que haviam aceitado Jesus como o Messias prometido das profecias do Antigo Testamento. Esses primeiros cristãos eram judeus fiéis que obedeciam a lei como haviam sido ensinados. Eles consideravam que o evangelho de Jesus Cristo havia mantido as prescrições do Antigo Testamento (veja Mt 5:17-20).

4. Leia Atos 10:28, 29, 34, 35. Como Pedro entendeu a visão que recebeu em Jope? O que o levou a essa interpretação? Complete as lacunas:
“Reconheço, por verdade, que Deus não faz _________ de pessoas; pelo contrário, em qualquer________, aquele que O _____ e faz o que é justo Lhe é _____” (At 10:34, 35).

Em Atos, vemos que o Espírito Santo preparou o caminho para que os gentios fossem recebidos na comunhão cristã. Eles poderiam fazer isso sem ter que passar pela circuncisão e primeiramente se tornar judeus. O que convenceu Pedro e seus amigos de que essa era a vontade de Deus foi o derramamento do Espírito Santo a Cornélio e à sua família de maneira semelhante ao que os discípulos de Jesus haviam experimentado no dia do Pentecostes (At 10:44-47). Se os gentios podiam receber o Espírito Santo da mesma forma que os judeus O haviam recebido, era evidente que ser circuncidado não era um pré-­requisito para se tornar um crente em Jesus como o Messias. Essa conclusão preparou o cenário para um grande conflito teológico entre os primeiros cristãos.
Terça-feira
O Espírito está guiando

Os relatos do que havia ocorrido com Cornélio em Cesareia logo chegaram aos líderes da comunidade cristã em Jerusalém, e eles pediram a Pedro que explicasse o que tinha acontecido. Eles ficaram ofendidos com o que Pedro havia feito, pois, de acordo com sua compreensão judaica da Lei de Moisés, os judeus fiéis não podiam comer com gentios (At 11:3).

5. Leia Atos 11:4-18. Como Pedro explicou a obra do Espírito Santo e Sua direção nesse evento? Qual foi o argumento principal que ele apresentou em seu relato?

Embora alguns tivessem levantado questões sobre a legitimidade das ações de Pedro e sua decisão de batizar esses gentios, testemunhas suficientes (At 11:12) atestaram que o Espírito Santo realmente tinha Se manifestado da mesma forma que no Pentecostes. A orientação e direção do Espírito Santo nesse caso foi incontestável e o dom, reconhecido. “Ouvindo eles estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Logo, também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para vida” (At 11:18).

6. Leia Atos 11:19-24. O que aconteceu depois na vida da igreja primitiva?

Talvez alguns em Jerusalém pensassem que o que tinha acontecido com Cornélio e sua família seria uma exceção, e que essa experiência não seria repetida. Mas não era esse o plano do Espírito Santo. Quando os discípulos de Jesus se dispersaram para além de Jerusalém e da Judeia por causa da perseguição que surgiu após a morte de Estêvão (At 8:1), e foram para Samaria, Fenícia, Chipre e Antioquia, mais e mais gentios aceitaram Jesus como seu Salvador. Foi isso que Jesus havia predito (At 1:8). Por mais maravilhosa que fosse essa afluência de gentios, se nos colocarmos no lugar desses judeus, não é difícil perceber que eles não estavam muito seguros quanto à maneira de reagir.

Estamos nos apegando a visões limitadas da igreja e da nossa mensagem que prejudicam nosso testemunho?

Ano Bíblico: At 22, 23
Quarta-feira
O Concílio de Jerusalém

7. De acordo com Atos 15:1, 2 e Gálatas 2:11-14 duas questões causaram sérios conflitos na igreja primitiva. Quais foram elas? Assinale a alternativa correta:
A.(  ) A imposição da circuncisão aos gentios e a separação entre judeus e gentios, como vimos no comportamento reprovável de Pedro.
B.(  ) Adultério e embriaguez entre os membros da igreja.

A ameaça à unidade da igreja enfrentada pelos primeiros cristãos era real e difícil. Alguns cristãos judeus pensavam que a salvação só era possível aos que pertenciam ao povo da aliança de Deus, o que implicava a circuncisão como requisito. E, como parte de um estilo de vida fiel, esses cristãos judeus também acreditavam que deviam evitar qualquer contato com os gentios que pudesse impedir sua própria salvação.
Os judeus tinham tradições rigorosas em relação à sua associação com os gentios. Quando os apóstolos começaram a alcançar os gentios que desejavam seguir Jesus, essas tradições se tornaram um obstáculo à nova comunidade cristã. Visto que o Messias era o Salvador do povo da aliança, como previu o Antigo Testamento, os gentios não deveriam se tornar judeus antes de seguir as mesmas regras da aliança, se quisessem ser salvos?

8. Leia Atos 15:3-22. Quais foram algumas questões apresentadas durante o Concílio de Jerusalém?

Nessa passagem, a questão estava fundamentada em conflitos sobre interpretações fortemente defendidas das histórias do Antigo Testamento sobre a circuncisão e a relação com os gentios. Quando se reuniram os apóstolos, anciãos e representantes de Antioquia, parece que o debate prosseguiu por um longo período sem nenhuma resolução.

Entretanto, Pedro, Barnabé e Paulo fizeram discursos. O discurso de Pedro fazia referência à visão que Deus lhe havia concedido e ao dom do Espírito Santo, que abriu o caminho para a missão aos gentios. Em seguida, Paulo e Barnabé compartilharam suas histórias sobre o que Deus tinha feito por meio deles pelos gentios. Como resultado, muitos abriram os olhos para a nova verdade. Pedro disse: “Cremos que fomos salvos pela graça do Senhor Jesus, como também aqueles [os gentios] o foram” (At 15:11). Séculos de longa tradição estavam sendo esclarecidos à luz do evangelho.

Você já mudou de opinião sobre uma crença que defendia firmemente? Ao se deparar com um novo questionamento no futuro, essa atitude poderá ajudar você?
Ano Bíblico: At 24–26
Quinta-feira
Uma solução difícil

Foi necessário certo nível de confiança por parte da igreja de Antioquia para enviar representantes a Jerusalém a fim de buscar a melhor solução para seu conflito. No entanto, depois de horas de debate entre os apóstolos e os anciãos, Tiago, o irmão de Jesus, que parecia ser o líder da assembleia, apresentou seu julgamento sobre o que deveria ser feito (At 15:13-20). Evidentemente o concílio decidiu que os gentios não precisavam se tornar judeus, obedecendo a todos os aspectos das leis cerimoniais, inclusive a circuncisão, para se tornar cristãos.

9. Leia Amós 9:11, 12 e Jeremias 12:14-16. O que esses profetas do Antigo Testamento predisseram em relação às nações vizinhas de Israel? Assinale a alternativa correta:
A.(  ) Elas seriam para sempre destruídas.
B.(  ) Deus Se compadeceria delas e as ajuntaria ao Seu povo.

Embora Tiago tenha citado Amós 9, vemos alusões à salvação das nações em outros profetas do Antigo Testamento. A intenção de Deus era salvar todo o mundo mediante o testemunho e a experiência de Israel. Na verdade, o chamado de Deus a Abraão incluía uma bênção a todas as nações por meio dele e de seus descendentes (Gn 12:1-3). A direção do Espírito Santo, o ministério de Pedro, Barnabé e Paulo entre os gentios e a conversão de muitos gentios eram evidências que não podiam ser desprezadas. Esses testemunhos ajudaram os líderes da comunidade cristã em Jerusalém a perceber que muitas profecias do Antigo Testamento agora estavam sendo cumpridas. Na verdade, Deus já havia decretado leis que orientavam a presença dos gentios em Israel e as restrições que se aplicavam a eles (Lv 17–18). Tiago também se referiu a essas leis em sua decisão (At 15:29). Tornou-se óbvio para todos que Deus estava chamando os gentios para se juntarem ao Seu povo e receber a salvação em Jesus. O Espírito Santo lhes deu uma compreensão mais profunda das Escrituras e revelou-lhes verdades cruciais que eles não tinham visto antes.
A reação dos cristãos de Antioquia ao que foi decidido em Jerusalém encontra-se em Atos 15:30-35: eles “se alegraram pelo conforto recebido” (At 15:31).
Em Atos, vemos um exemplo poderoso de como a igreja primitiva, mediante a submissão à Palavra de Deus, juntamente com uma mentalidade de amor, unidade e confiança, evitou, sob a orientação do Espírito Santo, o que poderia ter sido uma enorme crise de unidade.

Por que é importante não apenas ouvir o que os outros dizem, mas considerar que eles podem estar certos, mesmo quando o que eles dizem não é exatamente o que queremos ouvir?
Ano Bíblico: At 27, 28
Sexta-feira
Estudo adicional

Leia, de Ellen G. White, “Um Perseguidor da Verdade”, p. 131-142, e “Judeus e Gentios”, p. 188-200, em Atos dos Apóstolos.
“O concílio que decidiu esse caso era composto pelos apóstolos e mestres que se haviam destacado no trabalho de fundar igrejas cristãs judaicas e gentílicas [...]. Estavam presentes anciãos de Jerusalém e de Antioquia, e as igrejas mais influentes estavam representadas. O concílio se conduziu de acordo com os ditames de iluminado juízo e com a dignidade de uma igreja estabelecida pela vontade divina. Como resultado de suas deliberações, todos eles viram que o próprio Deus tinha dado resposta à questão, concedendo aos gentios o Espírito Santo; e sentiram que era sua parte seguir a orientação do Espírito.
“Não foram convocados todos os crentes para votar sobre a questão. Os ‘apóstolos e anciãos’ (At 15:23), homens de influência e bom senso, redigiram e expediram a resolução, que foi logo aceita pelas igrejas cristãs. Entretanto, nem todos ficaram contentes com a decisão. Havia uma facção de irmãos ambiciosos e possuídos de presunção que a desaprovaram. Esses homens pretensiosamente tomaram a decisão de se empenhar na obra sob a própria responsabilidade. Entregaram-se a muita murmuração e crítica, propondo novos planos e procurando desfazer a obra dos homens a quem Deus ordenara que ensinassem a mensagem [...]. Desde o início a igreja teve tais obstáculos a enfrentar, e há de tê-los até a consumação do tempo” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 196, 197).

Pergunta para discussão
Na Lição desta semana, estudamos medidas para resolver conflitos. Elas podem ser aplicadas hoje? Embora a igreja estivesse lidando com uma questão teológica, como esses relatos nos ajudam quando questões culturais, políticas ou étnicas ameaçam a unidade da igreja?

Resumo:
A igreja primitiva foi ameaçada por conflitos internos sobre uma série de questões que poderiam ter desencadeado um efeito devastador. Sob a orientação do Espírito Santo e em submissão à Palavra de Deus, a igreja conseguiu resolver esses conflitos e evitar divisões.
Ano Bíblico: Rm 1–4
Ano Bíblico: At 19–21