Jesuseapalavra.com
" Ide por todo o mundo
e pregai o evangelho."
                 Marcos 16:15
Copyright©Todos os Direitos Reservados 2007-2017 Jesuseapalavra.com
Perdoar ou não perdoar , Eis a questão
    O perdão é algo que precisa ser aprendido e desenvolvido
    Conheci uma menina que abortou com treza anos.Não consegue se perdoar.
    Conheço também todas as pessoas cujos casos são mencionados a seguir.Um garoto insistiu com o pai para que fosse com ele a  um teleférico.Na descida,um cabo se rompeu e o pai perdeu a vida.Uma mulher ficou viuva e,daí em diante,passou a odiar Deus.Outra traiu o esposo,engravidou,e agora só pensa em suicídio.Não consegue falar a verdade nem se perdoar.Um filho sofreu muito devido à separação dos pais e,até  hoje,após 15 anos de divórcio,se cupa por tudo o que aconteceu.Chora e preferiria não ter nascido.Uma garota foi violentada e não consegue perdoar Deus.Um menino cresceu vendo a mãe apanhar do padrasto.Um dia,pegou um machado e acabou com todo o sofriemnto dela.Ele está na cadeia e não se arrepende de nada.
    Por mais tristes dramáticos que sejam esses casos,nenhum é mais intenso e difícil que o nosso.Diante da mágoa,temos que,inevitavelmente,escolher perdoar ou não quem nos ofende,quem nos fere.Teorizar ou teologizar essa questão é mais fácil que vivê-la.Porém,por mais difícil que seja,precisamos tomar uma decisão:perdoar ou não perdoar.
    Questão 1
    O perdão é algo que deve ser aprendido e desenvolvido. É uma das evidências da maturidade cristã e da maturidade do homem.É uma necessidade espiritual,emocional e social.Quando o assunto é perdão,estamos falando da obrigatoriedade de recriar relacionamentos destruídos pelos erros e pelas mágoas.É claro que essa obrigatoriedade é relativa.Perdoar tem um preço alto,e nem todos estão dispostos a pagar.Mas me lembro de uma frase cunhada por Derek Bok,ex-reitor e presidente de Harvard:"Se você acha que é cara a educação,experimente a ignorância." Parafrasenado esse pensametno,diríamos:"Se você acha caro o perdão,experimente o não perdoar." Por exemplo:Qual seria o preço de Jesus não nos perdoar?Pecadores eternos?Dívidas eternas"Derrota eterna"Qual seria o preço do não perdoar?Incalculável!Em nossos relacionamentos,sempre teremos que escolher o preço que desejamos pagar: o do perdão ou do não perdão.Mas teremos,inevitavelmente,um preço a pagar.Essa escolha é quase sempre mutio difícil porque,em qualquer uma das decisões,haverá perdas e muita dor.
    Lembro-me da história de uma mulher que escolheu o caminho do não perdão.Foi traída pelo marido e,embora percebesse seu arrependimento,não conseguia perdoar.O marido fez de tudo,pediu perdão,implorou,insistiu,mas só encontrou indiferença como resposta.Os anos se passaram,o marido desistiu e acabou casando-se novamente.Aqui está um trecho do depoimento da mulher traída."Eu não podia perdoá-lo,ele me machucou demais.Ele tina que sentir a mesma dor que eu senti.Resolvi não perdoar porque ele não merecia.Ele destruiu nossos planos.Ele insistiu por dois anos para que voltássemos,até que desisstiu.desde que isso ocorreu,já se passaram sete anos.Um dia desses,entrei num supermercado e o vi.Ele estava com atual esposa e os dois filhinhos.Eram uma família.Eles brincavam,sorriam e pareciam felizes.E eu estou aqui:sozinha,sem ninguém,perguntando-me como teria sido se tivesse perdoado meu marido..." Sem duvida,o preço do não perdão é muito alto.
    É claro que essa história poderia ter tido um desfecho diferente.A mulher podria estar feliz com outra família e o ex-marido sofrendo até hoje pelo que fez.Essa final de história seia mais compatível com a lei da ação e consequência.Mas,quando a questão é perdão,não se trata de merecimento ou justiça,e sim,da graça.Perdão é oferecido para quem precisa e não para quem merece.O perdão é o unico reagente eficaz para cicatrizar as feridas abertas pelas mágoas e violências que sofremos na vida.
    Questão 2
    Perdão não implica convívio. Exemplificando:Se uma mulher é agredida fisicamente várias vezes ou torturada emocionalmente pelo marido,deve escolher o caminho do perdão,mas isso não implica,necessariamente,continuar convivendo com esse homem.
    Algumas pessoas pensam que,se a pessoa perdoar,deve continuar vivendo com o agressor,como se nada tivesse acontecido.Esse é o ideal,mas nem sempre é possível.Em alguns casos,é até errado e perigoso.Pode ser permissividade destruidora.Não se deve reforçar nenhum comportamento negativo.Não agimos assim com nossos filhos.Se eles erram,nó os perdoamos,mas exigimos que mudem de atitude.O mesmo princípio deve ser aplicado a qualquer relacionamento.
    Para que haja convívio mínimo necessário,é preciso que o agressor:
    1- Aceite a responsabilidade pelo ocorrido.
    2- Expresse sincero pesar e arrependimento.
    3- De alguma forma,ofereça compensação conveniente.
    4- Prometa não repetir a conduta.
    5- Peça perdão.
    Você pode e deve perdoar o seu cônjuge ou qualquer agressor,mas é evidente que se espere mudança de comportamento.Caso ela não aconteça,você deve perdoar e cicatrizar qualquer mágoa,mas também deve tomar atitude cuidando de você,de sua saude física e emocional.
    A mágoa deixa cicatrizes muito profundas.Com toda certeza,não é errado você se sentir magoado ou magoada.Ninguém é como uma pedra.A visão cristã compartiha da visão holística do ser humano:um ser completo,onde ideia,razão e sentimento estão interligados.Desse modo,cada um de nós tem a capacidade de se alegrar,entristecer,sorrir e chorar.Se alguém nos trai,ficamos tristes,nos magoamos,e isso é perfeitamente normal.Se sofremos um acidente e parte do nosso corpo é ferido,sentimos muita dor.Não é errado viver momentos de tristeza.Mas a mágoa pode sofrer mutação e se transformar em ressentimento,causando dano emocional.Ressentimento,por definição,é o ato de sentir de novo.O indivíduo foi magoado e depois de qutro ou cinco anos ainda sente dor pro causa do ocorrido.E lembre-se:"Rancor é um veneno que você toma esperando que o outro morra."Isso nos destrói e nos impede de amadurecer emocionalmente e de viver socialmente em equilíbrio.
    Questão 3
    O perdão tem muito mais que ver com o que Deus fez por mim do que o que as pessoas fizeram contra mim. Quando tenho que tomar a decisão de perdoar ou não meu agressor físico ou emocional,à questão maior a ser considerada é o que Jesus fez por mim e não a minha dor.Quando olho para o tamanho do perdão que recebi que Deus,eu me constranjo ao não oferecer perdão a quem me fere.
    Sou pai e garanto a você que nunca trocaria meu filho por nenhuma pessoa deste mundo.Não o ofereceria como  holocausto mesmo que fossepara salvar centenas de pessoas.Acho que nenhum pai faria isso.Mas Deus fez.ele entregou o objeto supremo do Seu amor.Entregou o que o céu tinha de melhor,Seu Filho,Seu unico filho.Só existe uma lógica capaz de explicar a razão de um pai entregar o filho como sacrifício:o amor."Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu unico Filho,para que todo aquele que nEle crê não pereça,mas tenha a vida eterna" (João 3:16).
    Quando você se sentir magoado,quando a dor for maior que a razão,quando você tiver certeza de que o ofensor não merece sequer seu mais rápido pensamento,lembre-se de tudo o que Deus fez por você.Ele também perdoou você (Ele faz isso todos os dias)e,contra a lógica deste mundo,continua amando você.
    Quando perdoamos alguém,reververamos o amor de Deus na vida dos outros.Refletimos o caráter dEle nesses momentos de dor e tristeza.Mas garanto uma coisa a você:perdoar custa muito menos que o resentimento e a mágoa.A liberdade emocional e espiritual que você quer e precisa só é encontrada no perdão.Assim,a questão não é perdoar iy bão perdoar,e sim,perdoar ou morrer aos poucos.Eis a questão!


                   Ivan Saraiva é diretor da Escola Bíblica da TV Novo Tempo,em Jacareí, SP
Marcos 16:15
Revistas
Quebrando o Silêncio