Jesuseapalavra.com
" Ide por todo o mundo
e pregai o evangelho."
                 Marcos 16:15
Copyright©Todos os Direitos Reservados 2007-2017 Jesuseapalavra.com
Revistas
Quebrando o Silêncio
Todos os dias
    O bullying causa sérios danos à personalidade da criança
    Raquel sempre gostou de estudar e aprender.Foi na escola que ela encontrou mais espaço para suas descobertas e reflexões.Contudo,a alegria de encontrar amigos e obter conhecimento cedeu lugar ao medo e nervosismo.Todos os dias,na saída das aulas e durante a ida para casa,a menina de 9 anos era perseguida por um colega que zombava dela.Risadas,piadinhas e apelidos eram proferidos contra Raquel por causa de uma verruga no nariz.
    Você já passou por situação semelhante?Ouvir piadas,zombarias,sofreu disciminação ou foi ridizularizado por colegas na escola simplesmente por ser diferente?
    Embora pareça cena de filme ou livro,o fato é bem mais comum do que se imagina.O bullying é um tema muito importante e deve despertar a atenção de pais e profissionais da área de saude,como psicólogos e psiquiatras.
   Uma pesquisa divulgada no início de 2009 pela organização não-governamental Internacional Plan,que atua em 66 países em defesa dos direitos da infância,apontou que 70% dos 12 mil estudantes entrevistados em seis Estados brasileiros afirmaram ter sido vítimas de violência escolar.Outros 84% desse total apontaram suas escolas como violentas.
    O termo bullying surgiu nos Estados Unidos e se refere a provocações,humilhações,agressões e isolamentos praticados por um indivído ou um grupo de pessoas a outros.O nome também pode ser utilizado para definir o mesmo tipo de comportamento quando ocorre com adultos dentro de empresas,mas a incidência do fato nas escolas é mais comum.
    para resolver o problema,Raquel pediu ajuda à mãe.Dona Cleusa levou a filha ao especialista,que,por meio da aplicação de medicamentos,retirou o motivo das zombarias:a verruga.Apesar de a história estar guardade na memória de Raquel,hoje a jornalista da Rede Novo Tempo de Comunicação não sofre com o que aconteceu.Ela superou as provocações e não desenvolveu nenhum trauma.Essa atitude é diferente do comportamento da maioria das vítimas de bullying.Segungo psicólogos,o bullying é capaz de causar sérios danos ao desenvolvimento da personalidade e do caráter da criança,não importando se esta é a agredida e  humilhada ou a que exerce o papel de tirano.
    Segundo a psicoterapeuta Cristina Pizzarro,especializada em terapia infantil pela Pontícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC- Rio)e professora do Programa de Pós-Graduação em psicologia Existencial do ISECENSA (Instituto Superior de Educação do Centro Educacional Nossa Senhora Auxiliadora),de campos dos Goytacazes,o bullying pode gerar casos de depressão e de suicídios entre jovens que não recebem a tempo a devida orientação escolar ou familiar.Já os praticantes do bullying,de acordo com a psicóloga,"tornam-se,muitas vezes,adultos com atitudes violentas e anti-sociais,podendo adotar,inclusive,comportamentos delinquentes ou criminais".
    Isso Já acontecia!
    A violência praticada por crianças ocorreu no passado;portanto,não é algo exclusivamente da vida moderna.Era deixada escondida e não se dava importância a isso.A situação mudou quando a imprensa de todo o mundo anunciou o assassinato de 15 adolescentes em Columbine,nos Estados Unidos,em 1999.Os estudantes Eric Harrys e Dylan Klebold entraram no colégio armados e atiraram em alunos e professores.No incidente,15 pessoas morreram e 24 foram feridas.
    Investigações apontaram que Eric e Dylan sofriam agressões dos colegas e principalemnte da equipe de esportes da escola,porque os alunos preferiam estudar a praticar exercícios,além de serem mais tímidos.Os agredidos começaram a arquitetar um plano de vingança,ocasionando o massacre do dia 20 de abril.Até essa data,as consequências do bullying não causavam repercussão.Segundo especialistas,as pessoas que sofriam violência ficavam caladas,com medo de que a perseguição piorasse.
    Como identificar vítima e agressor
    Nem sempre as consequências do bullyin consistem em morte ou suicídio.Mesmo assim,tiram a tranquilidade das vítimas,fazendo com que as crianças agredidas tenham pesadelo,medo,apavoramento,dificuldades escolares e falta de sono.Depressão,baixa autestima,ansiedade e abandono dos estudos são também alguns dos efeitos mais comuns na experiência das vítimas.
    De certa forma,o bullying é uma prática de exclusão social cujos principais alvos costumam ser pessoas mais retraídas,inseguras.Essas características fazem com que elas não peçam ajuda e,em geral,se sintam desamparadas e encontram dificuldades de aceitação.
    Além dos traços psicológicos,as vítimas desse tipo de agressão apresentam particularidades,como problemas com obesidade,estatura,deficiência física.As agressões podem ainda abordar aspectos culturiais,étnicos e religiosos.
    Os agressores são geralmente os líderes da turma,os mais populares - aqueles que gostam de colocar apelidos nos mais frágeis.Assim como as vítimas,eles também precisam de ajuda psicológica.
    Cabe aos pais observar o comportamento dos filhos em casa e informar os professores,na escola.Mudanças bruscas de humor e queda no rendimento escolar podem ser sinais de alerta.
    Válvula de escape
    A frustração de quem passa pela violência e de quem a comete vai se acumulando com o tempo e só serve para aumentar a agressividade.Por isso,a vítima de bullying pode se tornar um agressor.Jogos de videogame sobre bullying e cyberbullying podem se tornar o meio de extravasar a raiva.No jogo,o cenário de uma escola é reproduzido e a criança persegue e briga com os colegas,colocando-se no papel de "valentão".Já na internet o agressor começa a xingar e perseguir outra pessoa,usando e-mail e redes de relacionamento.
    A recomendação de especialistas é basicamente a mesma:observar o comportamento da criança,do adolescente ou do jovem e buscar ajuda profissional aos primeiros sinais.Esse auxílio,pode possibilitar uma vida mais tranquila,segura e saudável tanto para as famílias quanto para a escola.
 


                                                 Betina Pinto,Jornalista,trabalha na TV Novo Tempo
Marcos 16:15